Covilhã conta com dois centros de apoio à comunidade estrangeira

Se Portugal tem sido um destino frequente para estrangeiros que visam um recomeço – seja nos estudos ou trabalho -, a cidade da Covilhã é uma das que se destacam na recepção destes. Muitos vem movidos pelo sonho dos estudos de graduação e pós-graduação na Universidade da Beira Interior e, consigo, trazem familiares e indicam a cidade para amigos.

Por isso, tornou-se necessário que a cidade desse suporte para essa comunidade estar totalmente integrada com as novas regras, hábitos e culturas. Nesse contexto, surgiu o CLAIM Covilhã, que funciona na Santa Casa da Misericórdia e mais tarde o Balcão do Migrante da Mutualista Covilhanense. Dois serviços que tem a chancela do Alto Comissariado para as Migrações e buscam auxiliar o cidadão estrangeiro desde as necessidades básicas – como emissão de documentos, até as mais complexas – como o Trabalho e a Segurança Social. Conheça, logo abaixo, os serviços e como agendar sua visita para esclarecimentos.

CLAIM Covilhã – Santa Casa da Misericórdia

O CLAIM da Covilhã é composto por uma equipe multidisciplinar que conta com psicólogos, sociólogos, assistentes sociais, entre outras valências para dar resposta as principais dúvidas dos cidadãos estrangeiros que buscam seus serviços. Desde que abriu suas portas, já realizou 786 atendimentos, com destaque para a comunidade brasileira, que representa mais de 50% dos beneficiados. Para além da procura mais comum – em torno da regularização em território nacional – o CLAIM também auxilia na busca por educação, saúde e trabalho (onde conta com o apoio de sua rede de parceiros para colocação de estrangeiros em formações e, consequentemente, em vagas de emprego).

Segundo Ana Almeida, responsável pela área de Inovação da Santa Casa da Misericórdia da Covilhã – onde o CLAIM está funcionando – a ideia é formar redes de apoio para alcançar objetivos em conjunto com os estrangeiros. Ana relembrou que os primeiros passos foram dados ainda em 2016 quando, na Santa Casa, abrigaram uma família refugiada da Eritreia. No CLAIM, de forma mais direta, quem faz o atendimento é o psicólogo brasileiro Antônio Oliveira, que diz ter como objetivo mostrar as ferramentas que o serviço dispõe e fazer chegar tudo isso até as pessoas que precisam de apoio.

O CLAIM da Covilhã está localizado no Alto de Santa Cruz (Antigo Hospital) e atende por marcação, que pode ser feita através do telefone 275 310 233, pelo WhatsApp 964 932 601 ou pelo e-mail geral.claim.covilha@misericordiacovilha.pt. Os serviços em que eles prestam apoio gratuito são de regularização de documentos, reagrupamento familiar, habitação, trabalho, manifestação de interesse, apoio jurídico, empreendedorismo, saúde, educação (com reforço escolar para 1º e 2º anos), segurança social, SEF entre outros.

Balcão do Migrante – Mutualista Covilhanense

Já o Balcão do Migrante da Mutualista Covilhanense está integrado no âmbito do projeto “Casa Moura – Capacitar para Integrar” e tem como objetivo atender o público Migrante (emigrante e imigrante) que chega à região. Está voltado para dar suporte documental, jurídico, realizar ações sociais e culturais, com o intuito de promover a integração desta comunidade migrante na sociedade. É, ainda, o primeiro parceiro da Organização Internacional das Migrações (OIM) na Cova da Beira para o Programa de Apoio ao Retorno Voluntário e à Reintegração, mais conhecido por ARVoRe.

“O Balcão do Migrante tem como missão auxiliar na integração dos estrangeiros que se fixam na nossa região nas áreas documental, jurídica, social e outras, mas também os que decidem partir para outro país e é neste contexto que surge a parceria com a Organização Internacional das Migrações, com vasta experiência na área, entidade líder intergovernamental em matéria de migrações”, explica Nelson Silva, presidente da Direção da Mutualista Covilhanense.

Atualmente quatro pessoas integram a equipe do Balcão do Migrante – Igor Lopes (coordenador), Paula Charro (Relações Públicas) e duas juristas. De acordo com Igor Lopes, todas as informações e auxílios realizados são gratuitos e, além dos tradicionais esclarecimentos, existem um conjunto de atividades sociais e culturais que estão atreladas ao Balcão. “Temos o Café e Histórias: migrante conta parte da sua história – criado podcast a ser veiculado no site da Associação; Nossa Janela, Seus Sonhos: Migrantes contam parte do seu percurso para se destacarem na sociedade com alguma arte ou apetência; ExpressAr-te: mural a ser afixado no local – cada visitante deixa a sua marca; Grau Zero: distribuição de kits com casacos e cobertas no combate ao frio; Digitalista: SIM Cards para os que têm dificuldade em comunicar com as suas famílias; Tábula da Mentoria: Exemplo: especialistas em RH podem ensinar a elaborar um currículo”, revelou Igor.

Os serviços do Balcão do Migrante podem ser contatados pelo número 926 470 634 (que é também Whatsapp), pelo telefone fixo 275 247 623 ou, ainda, pelo endereço de e-mail balcao.migrante@mutualista-covilhanense.pt. A marcação prévia é necessária.

Sobre brasileirosnacovilha 244 artigos
Blog de informações sobre a Covilhã e Portugal, especialmente para brasileiros que desejam informar-se sobre estudos, trabalhos e vida em terras lusas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*