quinta-feira, 7 de junho de 2018

Exposição fotográfica relata as experiências de estudantes estrangeiros na Covilhã

Abertura da exposição atraiu dezenas de pessoas. Foto: Tâmela Grafolin
   
   De Lá Para Cá é um projeto acadêmico-cultural que tem o objetivo de dar visibilidade à comunidade internacional na Covilhã. Por meio de fotos e entrevistas, a exposição conta 11 histórias de estudantes europeus, africanos, asiáticos e sul americanos que deixaram os seus países para realizar sonhos. O que trouxeram de seus locais de origem e o que vão levar desta experiência são as perguntas que De Lá Pra Cá responde



   A exposição é realizada na Tinturaria Galeria de Exposições, junto à rotunda do Rato, até o dia 13 de junho entre as 10h e às 18h, com entrada gratuita. O projeto faz parte da disciplina de Oficina de Imagem do mestrado em Comunicação Estratégica da Universidade da Beira Interior. Os alunos mentores do projeto são todos estrangeiros, o que afirmou o aspecto emocional da exposição. 


São 11 personagens que ilustram a vida de estudantes estrangeiros.
   Rafael Masson, Nathalia Pinho, Rennan Cunha, Haphisa Souza, Carlos Brendler e Bianca Toniolo são brasileiros, já  Cláudia Sambo é angolana. Para esse grupo de estudantes, a experiência de estudar em outro país inspirou a criação do projeto De Lá Pra Cá. De acordo com a coordenadora geral do trabalho, Bianca Toniolo, a crescente "comunidade acadêmica internacional na UBI e da ampla diversidade cultural, propusemos uma exposição fotográfica com estudantes de diferentes países. Além de fotografar, entrevistamos os estudantes selecionados e buscamos extrair das suas histórias mensagens inspiradoras para aqueles que, assim como nós, vêm para a Covilhã em busca de crescimento acadêmico, profissional e pessoal” refere.

   A vice-reitora de Finanças e Pessoal e Responsabilidade Social da UBI, Anabela Dinis, representou a equipe reitoral no lançamento da exposição fotográfica, que ocorreu na última quarta-feira (6), e elogiou a iniciativa dos alunos, salientando que a "Universidade da Beira Interior é uma universidade cosmopolita onde as fronteiras físicas não são importantes".

Nenhum comentário:

Postar um comentário