terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Dica de Saúde: uma chamada de atenção para as hemorroidas

Pode parecer tabu falar de hemorroidas, porém a doença hemorroidária é extremamente frequente na população adulta. A prevalência da doença hemorroidária embora elevada, é de difícil avaliação, surgindo estimativas muito diferentes, com valores de prevalência entre 4,4% e 86%. 

Pensa-se que mais de metade população possa desenvolver hemorroidas depois dos 30 anos de idade. Por isso, na Dica de Saúde deste mês, a Farmácia São João chama a atenção dos leitores do Brasileiros na Covilhã para as hemorroidas. 

É importante reforçar que não existe nenhuma relação entre as hemorroidas e o câncer retal. Uma vez que os sintomas, em particular as perdas de sangue, podem simular o câncer do reto, é essencial que este seja excluído mediante a realização de uma investigação médica completa, sobretudo depois dos 50 anos de idade.


O que são hemorroidas? 


As hemorroidas são vasos sanguíneos de dimensões aumentadas, proeminentes, situados na parte distal do reto e ânus.  Existem dois tipos de hemorroidas, internas e externas, de acordo com a sua localização:

Hemorroidas internas: Desenvolvem-se dentro do ânus, onde habitualmente permanecem. Nas fases iniciais o doente não as vê nem sente. São caracterizadas por perdas de sangue vivo e/ou exteriorização (prolapso) durante a defecação (numa fase já mais avançada), podem assim provocar dor forte. 

Hemorroidas externas: Aparecem à volta do orifício anal, sendo revestidas por pele muito sensível. A ocorrência de um coágulo sanguíneo no seu interior (trombo) irá provocar um «inchaço» local muito doloroso, traduzido por um nódulo duro, azulado, muito incomodativo pelo prurido e inflamação que o acompanha. Só sangrarão no caso da sua ruptura. São sintomáticas.  Nas hemorroidas externas o exame físico é suficiente para o diagnóstico. Nas internas é preciso realizar o toque retal e, caso ainda haja dúvida, a anuscopia (uma mini-endoscopia onde se visualiza o reto por vídeo).


Fatores que desencadeiam hemorroidas: 


>> a idade;
>> a obstipação;
>> esforço para defecar; 
>> a gravidez;
>> tempo prolongado na sanita; 
>> a diarreia;
>> a posição sentada por longos períodos
>> obesidade;
>> dieta pobre em fibras;
>> tabagismo.


Quais os sintomas das hemorroidas?


Os sintomas podem ser variados: perdas de sangue vermelho-vivo durante as dejecções, prolapso durante as dejecções, comichão na região anal, dor, nódulo sensível.


Quando ir ao médico?


Geralmente os sintomas desaparecem em poucos dias, havendo situações, contudo, que podem significar um problema bem mais grave. Embora não exista uma relação entre hemorroidas e cancro, ocorrem sintomas semelhantes, pelo que os atribuídos à doença hemorroidária, especialmente a hemorragia, devem ser investigados por um médico especializado no tratamento das doenças do foro colo proctológico.


Como tratar as hemorroidas?


Os sintomas ligeiros podem ser aliviados de uma forma simples pela mudança dos hábitos alimentares, aumentando a quantidade de fibras (frutos, vegetais, cereais) e líquidos na dieta, o que eliminará o esforço defecatório excessivo. Em caso de dor, faça um banho de imersão em água quente por 10 minutos, o que aliviará a inflamação.


>> Hemorroidas externas: 


No caso das hemorroidas externas, estas medidas, associadas eventualmente a medicação oral e aplicação de tópicos locais, serão suficientes, desaparecendo a dor e o inchaço em poucos dias. Nalguns casos de trombose hemorroidária, com dor persistente, muito forte, poderá ser necessário proceder-se a uma intervenção cirúrgica para extracção do coágulo sanguíneo.


>>  Hemorroidas internas:


No caso das hemorroidas internas, com sintomas mais marcados, poderão estar indicados outros tratamentos, que irão da escleroterapia ou da laqueação hemorroidária.


Tratamento farmacológico:


O tratamento para hemorroidas pode ser feito com analgésicos e anti-inflamatórios prescritos pelo médico para aliviar a dor e o desconforto, como: 


>> Paracetamol ou Ibuprofeno (para aliviar a dor e inchaço);



>>  Daflon, apenas melhora os sintomas, não trata por isso definitivamente a doença.



>>  Pomadas como Procto glyvenol, Ultraproct e Hemofissural são muito utilizadas no tratamento das hemorroidas porque possuem propriedades vasoconstritoras, analgésicas e anti-inflamatórias. As pomadas devem ser indicadas pelo médico e aplicadas diretamente sobre a hemorroida, com uma suave massagem, 2 a 3 vezes por dia, enquanto durar o tratamento.



>>  Cirurgia, nos casos mais graves (existem diversas técnicas cirúrgicas para remover a hemorroida, por isso, é o médico que decide de acordo com o tipo e a localização da hemorroida que técnica utilizar).



Tratamento não-farmacológico:


Algumas medidas caseiras, como banhos de imersão com água morna, e alguns cuidados, como evitar usar papel higiênico para não ferir a região anal, por exemplo, também ajudam a tratar as hemorroidas, principalmente em caso de hemorroidas na gravidez. 

Fazer uma alimentação rica em fibras: para ajudar a tratar e evitar o agravamento das hemorroidas deve-se comer alimentos ricos em fibras, como arroz integral, pão com cereais, linhaça e gérmen de trigo todos os dias para tornar as fezes mais moles e não causar dor. 

Além disso, é importante beber cerca de 1,5 a 2 litros de água por dia. Ir a casa de banho assim que sentir vontade. Praticar exercício físico regularmente, como caminhadas ou natação, aumentam a mobilidade do intestino e torna as fezes mais moldadas. Também se pode utilizar uma almofada em forma de círculo, aberta no centro quando se tem de sentar no trabalho por várias horas. 

Fazer banhos de imersão. Os diabéticos só devem usar remédios para hemorroidas com orientação médica.



Como se previne o desenvolvimento de veias hemorroidárias?


Alguns aspectos importantes são a ingestão regular de líquidos e fibras, usar laxantes em caso de obstipação para evitar o esforço durante a evacuação e evitar o sedentarismo.


Tratamento Instrumental das Hemorroidas


Quando o tratamento médico não resulta estas técnicas permitem atrasar a evolução do processo por algum tempo embora não curem definitivamente a doença hemorroidária. São técnicas simples, sem necessidade de anestesia, e realizadas no consultório.

Fibrose: A injeção a nível da submucosa do ânus de uma solução esclerosante de polidocanol a 0.5% produz uma fibrose que leva a uma fixação da mucosa aos planos profundos assim como a uma diminuição da vascularização local, com respectiva diminuição do prolapso e da hemorragia. Está indicada apenas em hemorroidas internas de pequeno tamanho e hemorrágicas. Está contra indicada na crise hemorroidária.

Ligadura elástica: Esta técnica consiste na introdução de anel elástico na base da hemorroida, acima da linha pectínea, de modo a produzir um estrangulamento com consequente necrose da hemorroida. Esta técnica está indicada em hemorroidas internas grau 2 e algumas de grau 3

Nenhum comentário:

Postar um comentário