segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Presidente elogia UBI e fala que o orçamento para o ensino superior está longe do ideal

Reitor da UBI, António Fidalgo e o presidente Marcelo
Rebelo de Sousa durante visita a UBI.
Foto: Fábio Giacomelli
O Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa visitou, na tarde desta segunda-feira (5), as instalações da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior. 

A visita foi acompanhada de perto pelo reitor da instituição, António Fidalgo e no pouco tempo que o Chefe de Estado esteve na cidade, falou sobre a qualidade da UBI e que também está ciente das dificuldades financeiras enfrentadas por essa e outras instituições de ensino superior. 

Na chegada à FCS, o Presidente e sua comitiva foram recebidos com música. As apresentações das tunas dos alunos de medicina da UBI, Tuna-Mus e C'a Tuna aos Saltos foram responsáveis pelas boas-vindas. Rebelo de Sousa visitou salas de aula, laboratórios da instituição, conheceu um moderno e avançado sistema de ensino-aprendizagem da Universidade da Beira Interior e, ainda, tirou diversas selfies com alunos, ávidos por um encontro com ele.

Galeria de fotos da visita do Presidente a Covilhã

Presidente tirou inúmeras
fotos com os alunos da UBI. Foto: Fábio Giacomelli
No fim da visita, o Presidente respondeu algumas perguntas da imprensa presente e se mostrou encantado com o que viu na Covilhã. "A cada vez que tenho um contato com a UBI, fico surpreendido. Vai além das minhas expectativas em termos regional e nacional. Vai além das minhas expectativas em massa crítica dos estudantes, em qualidade de ensino e investigação e ligação com a comunidade. Para uma universidade tão jovem aquilo que já fez e aquilo que vai fazer, é excepcional."

As dificuldades financeiras enfrentadas pela UBI, também estiveram em pauta. Rebelo de Sousa reconheceu que a verba não é suficiente e disse que as instituições precisam, para além do orçamento de Estado, ter imaginação para buscar outros recursos. "Dentro das limitações que são muitas, está a ser feito um esforço para as universidades terem um pouco mais de meios para os próximos anos letivos. Está longe do que seria o ideal, mas está melhor do que já esteve [...] As universidades têm que encontrar receitas próprias e têm que ter muita imaginação para encontrar receitas próprias porque aquilo que vem de transferência do orçamento de Estado fica aquém daquele núcleo duro básico de receitas que é preciso satisfazer"

Mas como exemplo, citou a própria UBI, como instituição que está sabendo como trabalhar diante dessas dificuldades. "O que é notável é que as universidades têm conseguido encontrar essa imaginação em parceria com os municípios, empresas, instituições da sociedade civil e sobreviver e manter o nível elevado de ensino e investigação."

Presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, entrega
lembrança ao presidente.
Foto: Fábio Giacomelli
O Presidente ainda encerrou dizendo que pretende, antes do fim do seu mandato, ver o orçamento dessas instituições aumentar. "É uma situação difícil. Eu espero que com mais crescimento, seja possível, nos próximos anos ter mais possibilidades para o Ensino Superior em Portugal. E espero ver isso antes do fim do meu mandato, em 2021"

Atento a visita do Presidente, o reitor da UBI, António Fidalgo se mostrou satisfeito em receber Marcelo Rebelo de Sousa na instituição, mas alertou para o subfinanciamento que essas instituições estão a viver. "A Universidade da Beira Interior é um dos casos mais gritantes de subfinanciamento. Somos a mais subfinanciada do país. O presidente refletiu isso e agora ele pode sensibilizar o governo para esse tipo de subfinanciamento", e encerrou dizendo que durante a visita fez questão de mostrar que, apesar das dificuldades, o ensino aplicado na UBI segue em um nível de excelência."


Nenhum comentário:

Postar um comentário