terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Destino Portugal: o que preciso saber antes de viajar

Torre de Belém, Lisboa. Um dos pontos turísticos mais visitados
em Portugal. Foto: Fábio Giacomelli
Há cerca de cinco anos, Portugal tornou-se um dos principais destinos para estudantes brasileiros de graduação e pós-graduação.

O idioma, a qualidade e o preço dos cursos nas universidades portuguesas estão entre os motivos mais apontados por estes acadêmicos que saem do Brasil para desbravar o país europeu.

Soma-se a isso, a vontade das próprias universidades de Portugal terem, em seu corpo discente, alunos brasileiros, como uma alternativa para suprir a perda de estudantes portugueses, sobretudo nas instituições do interior do país. Para fomentar ainda mais essa ideia, muitas universidades aceitam a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como forma de ingresso dos alunos brasileiros.

>>>> Guia do Estudante Brasileiro em Portugal

Porém, antes de qualquer passo fora do Brasil, é preciso ter cuidado com algumas etapas burocráticas necessárias. A primeira delas, parece lógica, mas muitas pessoas esquecem que o Passaporte é um documento obrigatório para viagens ao exterior (exceto aos países do Mercosul, que devido a acordos bilaterais, é autorizado cruzar as fronteiras com Carteira de Identidade).

>>>> Solicitar Passaporte | Site da Polícia Federal do Brasil

Depois do passaporte e da consequente aprovação em alguma instituição universitária de Portugal, o passo seguinte é o visto. Mesmo que haja acordo entre os países, a exigência da autorização só não ocorre em caso de turismo. Esse acordo permite que qualquer brasileiro pode vir a Portugal e permanecer até 90 dias sem a necessidade do visto, desde que esteja no país para tratar de negócios, turismo, cobertura jornalística ou missão cultural.

Para todas as outras situações, como estudo, trabalho e residência fixa, é preciso solicitar o visto de residência para o fim correto. Existem cinco tipos de vistos: escala, trânsito, curta duração, residência e estada temporária. No caso de estudantes, aprovados nos cursos de graduação, mestrado ou doutorado que venham para Portugal passar mais de seis meses, o visto deve ser o de

>>>> Residência para fins de estudo.

Para dar entrada no processo do visto, você deve ir até o Consulado português mais próximo,  após agendamento, portando os seguintes documentos:

>> Requerimento em modelo próprio (clique aqui)

>> Documento de viagem válido - Passaporte (Com mais de 3 meses de validade a partir do visto);

>> 2 fotografias iguais, tamanho 3x4, colorida com fundo branco.

>> Passagem de volta ao Brasil (exceto para vistos de residência, para reagrupamento familiar e para atividade de investigação, docente em estabelecimento de ensino superior ou altamente qualificada);

>> Seguro saúde de viagem (pode ser o PB4 fornecido gratuitamente pelo Ministério da Saúde).

>>  Requerimento para consulta do registro criminal português pelo SEF (para vistos de estada temporária e de residência) - formulário fornecido pelo Consulado na entrega da restante documentação;

>>  Certificado de registro criminal do país de origem ou onde o requerente reside há mais de um ano (para vistos de residência e estada temporária) (brasileiros retiram online aqui)

>> Comprovativo das condições de alojamento;

>> Comprovativo de meios de subsistência (comprovativo de bolsa ou documento reconhecido em cartório atestando que alguém ficará responsável por seu custeio no período em que estiver em Portugal);


* Para menores ou incapazes, autorização de quem exerça o poder paternal ou tutela.

** Cada tipo de visto tem uma taxa diferente. Consulte os preços diretamente com o consulado mais próximo de você. Para consultar os consulados portugueses no Brasil e seus contatos, clique aqui.






14 comentários:

  1. Belo trabalho, informações preciosas, parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  2. Pretendo cursar graduação na UBI, cujo a duração é de 3 anos. Porém só tenho como comprovar meios de subsistência de 1 ano. Posso pedir o visto temporário ao invés do visto de residência?

    ResponderExcluir
  3. Boa noite, tenho uma duvida, sou brasileiro, formado aqui no Brasil, porém meu pai é frances, e eu tenho a cidadania europeia, ja vi no site da universidade que por pertencer a um pais da Lingua Portuguesa recebo 40% de desconto, mas vi que cidadãos portugueses pagam uma mensalidade ainda menos. Minha duvida é, se eu posso pagar a mensalidade dos cidadãos portugueses, pela cidadania europeia?
    Desde ja agradeço a atenção, gostei muito do site, e do grupo no face, virei um seguidor, estao de parabens!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bernardo! Não. O pagamento poderia ser solicitado só em caso sua cidadania fosse portuguesa. Como é francesa, você evita de ter que ir atrás do visto, mas o valor é o mesmo que os estrangeiros.

      Excluir
  4. Olá! Parabéns pelo Blog!
    Estou com algumas dificuldades e queria uma orientação de vcs.
    Eu e minha companheira estamos com intensões de realizar candidatura na UBI em 2018. Para isso precisamos saber algumas coisas:
    01- Seria melhor adotarmos a UNIÃO ESTÁVEL para comprovativo de renda?
    02- Com mais ou menos quanto (em euro) é possível comprovar renda para tirar o visto?
    03- Existe alojamentos ou quartos para casais?
    04- É possível conseguir estágio/trabalho/emprego na Covilhã com visto de estudante?

    Desde já, agradeço pela atenção!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Rodrigo! Não há um valor específico a ser comprovado para conseguir o Visto. No entanto, calculamos que um valor entre 400 e 600 euros por mês seja o necessário para pagar a mensalidade da instituição, alojamento e alimentação. A UBI possui sim quartos ou apartamentos para casais cujos valores estão entre os 150,00 (quarto) e 390,00 (apartamento) euros (alguns com contas de água, luz, gás e internet incluídos outros não). Quanto ao emprego, o visto para estudo não permite emprego, mas o estágio pode ser feito conforme seu curso na universidade. No entanto, se você conseguir um contrato de trabalho pode solicitar uma autorização especial ao SEF. Quanto à União Estável acreditamos que não interfira no processo para conseguir o visto, já que os dois estarão estudando no país cada um deve comprovar o seu rendimento - ou o de alguém que vá enviar dinheiro.

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Eu gostaria de estudar em Portugal,mas apenas no ano que vem pois ainda não me formei no ensino médio, o que me recomendaria fazer a partir de agora?

    ResponderExcluir
  7. Olá,gostaria de saber quais são suas recomendações para alguém que quer ir estudar e como fazer isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Beatriz! São muitas recomendações! hehe Sugerimos que você dê uma olhada em alguns posts aqui do blog mesmo! Ali acima, no nosso menu onde diz Dúvidas Frequentes e Dicas do Blog você vai encontrar muitas coisas interessantes e de grande utilidade! :)

      Excluir
  8. Olá, estou precisando de uma informação. Minha filha irá fazer uma licenciatura na UBI. Em relação a comprovação de rendimento eu que vou financiar. Aqui no Brasil vivo de rendimento de um imóvel alugado e sou autônoma( trabalho com venda de produtos). No entanto, tenho uma poupança que irá pagar todas as despesas dos 3 anos da licenciatura dela. Estive no consulado e pelo que entendi, o extrato da poupança não fará diferença, o que eles exigem de fato é a comprovação de rendimento, e este não tenho. Gostaria de saber como devo proceder em relação a esta situação. Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não saberia te dizer, exatamente. Talvez você pode fazer uma declaração, assinada e reconhecida em cartório atestando que se compromete com todas as despesas dela no período em que estiver estudando fora do país e anexar a isso uma cópia do seu aluguel e mais o extrato. Penso que assim eles devem aceitar.

      Excluir
  9. Sou brasileira e tenho cidadania italiana, vou estudar na UBI em fevereiro de 2019 e gostaria de confirmar se posso entrar e permanecer em Portugal, durante os seis meses de mobilidade, sem nenhum problema. Além disso, quantas horas é possível trabalhar sendo cidadão europeu?

    ResponderExcluir