terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Destino Portugal: o que preciso saber antes de viajar

Há cerca de cinco anos Portugal se tornou um dos principais destinos para estudantes brasileiros de pós-graduação. O idioma e os preços dos cursos nas universidades portuguesas estão entre os motivos frequentemente apontados por estudantes para sair do Brasil e desbravar o país europeu.

Além disso, as próprias universidades em Portugal viram no mercado brasileiro uma alternativa para suprir a perda de estudantes portugueses, pois inclusive, já aceitam a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) para ingresso dos alunos brasileiros.

>>>> Guia do Estudante Brasileiro em Portugal

Porém antes de qualquer passo fora do Brasil, é preciso ter cuidado com algumas etapas burocráticas necessárias. A primeira delas é o visto. Mesmo que haja acordo entre os países, a exigência da autorização só não ocorre em caso de turismo. Para todas as outras, como estudo, trabalho e residência fixa, é preciso o visto.

Esse acordo permite que qualquer brasileiro pode vir a Portugal e permanecer até 90 dias sem a necessidade do visto, desde que esteja no país para tratar de negócios, turismo, cobertura jornalística ou missão cultural.

Todos que tem Portugal como destino, devem estar atentos à sua necessidade, pois existem cinco tipos de vistos: escala, trânsito, curta duração, residência e estada temporária. No caso de estudantes, aprovados nos cursos de graduação, mestrado ou doutorado que venham para Portugal passar mais de seis meses, o visto deve ser o de residência.

Para dar entrada no processo do visto, você deve ir até o Consulado português mais próximo,  após agendamento, portando os seguintes documentos:

>> Requerimento em modelo próprio (clique aqui)

>> Documento de viagem válido - Passaporte (Com mais de 3 meses de validade a partir do visto);

>> 2 fotografias iguais, tamanho 3x4, colorida com fundo branco.

>> Passagem de volta ao Brasil (exceto para vistos de residência para reagrupamento familiar e para atividade de investigação, docente em estabelecimento de ensino superior ou altamente qualificada);

>> Seguro saúde de viagem (pode ser o PB4 fornecido gratuitamente pelo Ministério da Saúde).

>>  Requerimento para consulta do registro criminal português pelo SEF (para vistos de estada temporária e de residência) - formulário fornecido pelo Consulado na entrega da restante documentação;

>>  Certificado de registro criminal do país de origem ou onde o requerente reside há mais de um ano (para vistos de residência e estada temporária) (brasileiros retiram online aqui)

>> Comprovativo das condições de alojamento;

>> Comprovativo de meios de subsistência (comprovativo de bolsa ou documento reconhecido em cartório atestando que alguém ficará responsável por seu custeio no período em que estiver em Portugal);


* Para menores ou incapazes, autorização de quem exerça o poder paternal ou tutela.

** Cada tipo de visto tem uma taxa diferente. Consulte os preços diretamente com o consulado mais próximo de você. Para consultar os consulados portugueses no Brasil e seus contatos, clique aqui.






8 comentários:

  1. Belo trabalho, informações preciosas, parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  2. Pretendo cursar graduação na UBI, cujo a duração é de 3 anos. Porém só tenho como comprovar meios de subsistência de 1 ano. Posso pedir o visto temporário ao invés do visto de residência?

    ResponderExcluir
  3. Boa noite, tenho uma duvida, sou brasileiro, formado aqui no Brasil, porém meu pai é frances, e eu tenho a cidadania europeia, ja vi no site da universidade que por pertencer a um pais da Lingua Portuguesa recebo 40% de desconto, mas vi que cidadãos portugueses pagam uma mensalidade ainda menos. Minha duvida é, se eu posso pagar a mensalidade dos cidadãos portugueses, pela cidadania europeia?
    Desde ja agradeço a atenção, gostei muito do site, e do grupo no face, virei um seguidor, estao de parabens!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bernardo! Não. O pagamento poderia ser solicitado só em caso sua cidadania fosse portuguesa. Como é francesa, você evita de ter que ir atrás do visto, mas o valor é o mesmo que os estrangeiros.

      Excluir
  4. Olá! Parabéns pelo Blog!
    Estou com algumas dificuldades e queria uma orientação de vcs.
    Eu e minha companheira estamos com intensões de realizar candidatura na UBI em 2018. Para isso precisamos saber algumas coisas:
    01- Seria melhor adotarmos a UNIÃO ESTÁVEL para comprovativo de renda?
    02- Com mais ou menos quanto (em euro) é possível comprovar renda para tirar o visto?
    03- Existe alojamentos ou quartos para casais?
    04- É possível conseguir estágio/trabalho/emprego na Covilhã com visto de estudante?

    Desde já, agradeço pela atenção!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Rodrigo! Não há um valor específico a ser comprovado para conseguir o Visto. No entanto, calculamos que um valor entre 400 e 600 euros por mês seja o necessário para pagar a mensalidade da instituição, alojamento e alimentação. A UBI possui sim quartos ou apartamentos para casais cujos valores estão entre os 150,00 (quarto) e 390,00 (apartamento) euros (alguns com contas de água, luz, gás e internet incluídos outros não). Quanto ao emprego, o visto para estudo não permite emprego, mas o estágio pode ser feito conforme seu curso na universidade. No entanto, se você conseguir um contrato de trabalho pode solicitar uma autorização especial ao SEF. Quanto à União Estável acreditamos que não interfira no processo para conseguir o visto, já que os dois estarão estudando no país cada um deve comprovar o seu rendimento - ou o de alguém que vá enviar dinheiro.

    ResponderExcluir